“Essa música é sobre suicídio. Ela é muito, muito séria. Me desgasta pra caralho quando a gente toca, e as pessoas não percebem. É sobre uma menina que tem problemas com os pais. Ela se jogou da janela do quinto andar e não existe amanhã. (…) Eu não aguentaria ouvi-la duas vezes seguidas. Eu gostaria, então, que as pessoas prestassem atenção na letra e vissem que é uma coisa muito forte.”
Renato Russo sobre “Pais e Filhos”. 


“Se vocês pudessem ouvir os pensamentos dos outros, escutariam coisas que são verdadeiras, assim como coisas que são completamente sem sentido. E não saberiam distinguir uma das outras. Isso levaria vocês à loucura. O que é verdade? O que não é? Um milhão de ideias, mas o que elas significam?”
Os 13 porquês.   


“Depois, bem depois, vem o tempo e nos mostra a verdade como se fosse um passo de dança. Suave, intenso, inteiro. Ele vem e mostra. E aí a gente olha para trás e pergunta: porque não agi diferente? Porque você não tinha o conhecimento que tem hoje. Não tinha a maturidade deste momento. Não te culpa. Não me culpa. A gente não tem culpa.”
Gabito Nunes.  


“Me pego ouvindo uma música antiga e sai um sorriso de canto, sem saber que a descrição daquela melodia havia lembranças de você. Fecho os olhos lembrando dos velhos tempos, a paz da felicidade que nos permitia, e a cada palavra dita na canção fazia eu te querer por perto. Quando menos espero, bagunço todo o quarto a procura do teu retrato, sentindo meu rosto molhado. Lágrimas de saudades rolando no rosto, e no soluço do choro eu grito o teu nome, necessitando o teu colo, querendo teu cheiro na minha camisa. Teu abraço protetor, teu carinho amigo, tua cumplicidade, teu amor de menina mulher, querendo você para pôr um fim nessa dor, em todo sofrimento.”
Pablo Henrique Dantas.  


“Pois de longe você tem cheiro de desejo, mas quando me aproximo o odor de seu desprezo prevalece, cansei. Cansei de me doar para alguém que só faz me usar, não sou só prazer para sua carne, quero ser prazer de seu coração também. Agora estou à procura de algo que quando me toque, não só me faça sentir sem os pés no chão, mas me faça sentir com a mente em outro mundo, com o espírito em outra era, lá onde poucos chegam, onde a reciprocidade é eterna.”
Neto Monteiro. 


“Com o tempo,
o tempo terá tempo
para agir.”
Londres, 1999 


“O amor não lembra do que precisa. Amor é não precisar de nada. É precisar do que acontece depois do nada, ainda que não aconteça. O amor confunde para se chegar ao mistério. Embaralha para não se ouvir. Perde-se no próprio amor a capacidade de amar. Amor é comer a fruta do chão. O chão da fruta. O amor queima os papéis, os compromissos, os telefones onde havia nomes. O amor não se demora em versos, se demora no assobio do que poderia ser um verso. O amor é uma amizade que não foi compreendida, uma lealdade que foi quebrada. O amor é um desencontro por dentro.”
  • Fabrício Carpinejar.  


“Homossexuais não são respeitados por culpa de uma minoria que é depravada, heterossexuais não são respeitados por causa de uma minoria que não respeita seus parceiros, ouvintes de rock não são respeitados por causa de uma minoria que são vândalos, pessoas que moram em favelas não são respeitadas por causa de uma minoria que cometem delitos, enfim a sociedade julga as pessoas por culpa de uma minoria .”
renascendo   


“É bem provável que você ainda se apaixone umas cinco vezes durante o restante da sua vida. Chore por “amor” algumas tantas outras. E diga “Eu te amo” para alguém em alguns momentos. Mas, sempre irá haver uma pessoa, não uma simples pessoa. É aquela bendita pessoa, que vai te fazer perder o sono, ouvir músicas estúpidas, sorrir para o cachorro Pit Bull do vizinho, ler piadas para saber como fazer tal pessoa rir, assistir filmes que não gosta, e aprender a cozinhar. Não é uma tarefa fácil. Até porque, estudos comprovam que não é sempre que ficamos com quem amamos de verdade. De qualquer modo. Cuida dessa pessoa direitinho, aproveita cada bobagem. Vale a pena.”
Orquestrando.   


lovucky